Menu fechado

Domínio da Ortografia Oficial – Resumo

Prestando algum concurso público? Veja as apostilas disponíveis!

Apostilas opção são boas? veja este artigo sobre.

Domínio da Ortografia Oficial – Resumo

Para entender a ortografia oficial primeiro é necessário entender seus casos, isso é, o contexto e a forma onde as palavras são construídas, veja abaixo:

Caso  x / ch   

1)  x / ch nas palavras  provenientes do latim:

1.1) Emprego do ch:

Ao passar do latim para o português, as sequências “cl”, “pl” e “fl”, transformaram-se em “ch”:

afflare            >         achar

flagrare         >         cheirar

flamma         >         chama

caplu             >         cacho

clamare        >         chamar

claven           >         chave

masclu          >         macho

planus           >         chão

plenus           >         cheio

plorare          >         chorar

plumbum     >         chumbo

pluvia            >         chuva

1.2) Emprego do x:

  1. a) Proveniente do xlatino:

exaguare      >         enxaguar

examen        >         exame

laxare           >         deixar

luxu              >         luxo

  1. b) Palatização do S em grupos como ssiou sce:

miscere         >         mexer

passione       >         paixão

pisce             >         peixe

2) Emprega-se a letra x:

x1) Após ditongo:

  • ameixa
  • caixa
  • peixe

Exceções:

  •      recauchutar (do francês recaoutchouter)
  •      guache (do francês gouache)
  •      caucho (espécie de árvore. Tem origem na palavra cauchu“lágrimas da árvore”, é de um idioma indígena, mas está em nossa ortografia oficial)

x2) Em palavras iniciadas por ME:

  • Mexerica
  • xico
  • Mexilhão
  • Mexer

Exceção:
·         mecha (de cabelos), que tem sua origem no fracês che. Não confundir com a forma verbal “mexa” do verbo mexer, que deve ser grafada com x.

X3) Em palavras iniciadas por EN:

  • Enxada
  • Enxerto
  • Enxurrada

Exceção1:
·         enchova (regionalismo de anchova, que origina-se do genovês anciua);

Exceção2: Palavras formadas por prefixação de en + radical com ch:
·         enchente, encher e derivados = prefixo en + radical de cheio;
·         encharcar = en + radical de charco;
·         enchiqueirar = en + radical de chiqueiro;
·         enchapelar = en + radical de chapéu;
·         enchumaçar = en + radical de chumaço

x4) Em palavras com origem Tupi. As mais conhecidas são:

  • Araxá – lugar alto onde primeiro se avista o sol.
  • Abacaxi – de , ou ywa (fruta), e katy (que recende, cheira);
  • Capixaba – roça, roçado, terra limpa para plantação.
  • Caxumba
  • Pataxó – tribo.
  • Queixada – “o que corta”.
  • Xará – de xe rera, “meu nome”.
  • Xavante – tribo.
  • Xaxim – do tupi-guarani Xá = cachoeira, Xim = pequena.
  • Ximaana – tribo.
  • Xingu – água boa, água limpa, na língua Kamayurá.Exceção:
    ·Chapecó – Cidade de SC. Derivação do tupi Xapecó (de donde se avista o caminho da roça).

x5) Em palavras com origem árabe. As mais conhecidas são:

  • Almoxarife
  • Almoxarifado
  • Elixir (al-Axir)
  • Enxaqueca (xaqiqa– meia cabeça)
  • Haxixe (hashish– maconha)
  • Oxalá (in sha allahou inshallah – se Deus quiser)
  • Xarope
  • Xadrez (xatranj)
  • Xarope (xarab– bebida, poção)
  • Xeque
  • Xeque-mate

Exceções:

  • Alcachofra (Alkharshof– fruto do cardo manso)
  • Chafariz

x6) Em palavras com origem africana. As mais conhecidas são:

  • Afoxé
  • Axé
  • Borocoxô
  • Exu
  • Fuxico
  • Maxixe
  • Orixá
  • Xendengue (magro, franzino)
  • Xangô (Xa– Senhor; Ag + No  – Fogo Oculto;   = Raio, Alma)
  • Xaxado
  • Xingar
  • XinXim
  • Xodó

Exceções:

  • Cachimbo (kixima)
  • Cachaça
  • Cochicho
  • Cochilar
  • Chilique

3) Emprega-se ch:

ch1) Em palavras com origem francesa. As mais conhecidas são:

  • Avalanche (Avalónch)
  • Cachê (Cachet)
  • Cachecol (Cacher)
  • Chalé (Chalet)
  • Chassi (Chânssis)
  • Champanhe (Champagne)
  • Champignon (Champignon)
  • Chantilly (Chantilly)
  • Chance (Chance)
  • Chapéu (Chapeau)
  • Chantagem (Chantage)
  • Charme (Charme)
  • Chefe (Chef)
  • Chique (Chic)
  • Chofer (Chauffeur)
  • Clichê (Cliché)
  • Creche (Crèche)
  • Crochê (Crochet)
  • Debochar (Débaucher)
  • Fetiche (Fétiche)
  • Guichê (Guichet)
  • Manchete (Manchette)
  • Pochete (Pochette)
  • Revanche (Revanche)
  • Voucher (Vocher)

 

Caso g / j

1) Palavras provenientes do latim e do grego:

1.1) O g português representa geralmente o g latino ou grego:

  1.                   a) Latim:

agere             >         agir

agitare           >         agitar

digit(i) (raiz)   >         digitar

gestu             >         gesto

gelu               >         gelo

liturgia          >         liturgia

tegella           >         tigela

Magia < Magia (latim) < Mageia (grego) < Magush (persa)

  1. b) Grego:

eksegesis                 >         exegese

gymnastics              >         ginástica

gemonikós          >          hegemônico

logiké                       >         lógico

synlogismos            >          sologismo

 

Exceção:

aggelos                    >         anjo (angeolatria é com g)

1.2) Não há j no grego e no latim clássico. O j provém:

  1.                  a) Da consonantização do I semiconsoante latino:

                       iactu              >         jeito

iam                >         já

iocus              >         jogo

maiestate      >         majestade

  1.                  b) Da palatalização do S + I, ou dogrupo DI + Vogal:

basiu             >         beijo

casiu            >         queijo

hodie            >         hoje

radiare          >         rajar

2) Emprega-se a letra g:

g1) Nas palavras derivadas de outras grafadas com g:

  • engessar (de gesso)
  • faringite (de faringe)
  • selvageria (de selvagem)Exceção:
    ·        coragem (fr. courage) => corajoso, encorajar

g2) Nas palavras terminadas em ágio, égio, ígio, ógio, úgio:

  • pedágio
  • sacrilégio
  • prestígio
  • relógio
  • refúgio

 

g3) Os substantivos terminados em gem:

  • viagem
  • coragem
  • ferrugem

Exceção:

  • pajem
  • lambujem

g4) Nos verbos terminados em ger e gir:

  • eleger
  • mugir

g5) Em geral, após R:

  • aspergir
  • divergir
  • submergir

3) Emprega-se a letra j:

j1) Nas palavras derivadas de outras grafadas com j:

  • sarjeta (de sarja)
  • lojista (de loja)
  • canjica (de canja)
  • sarjeta (de sarja)
  • gorjeta (de gorja)

j2) Nos verbos terminados em jar:

  • viajar
  • encorajar
  • enferrujar

 

j3) Em palavras com origem árabe. As mais conhecidas são:

  • alforje (al hurj<sacola>)
  • azulejo (azzelij)
  • berinjela (badanjanah)
  • javali (djabali)
  • jaleco (jalikah)
  • jarra (djarrah)
  • laranja (narandja)

Exceções:

  • álgebra (al-jabr)
  • algema (al jamad<a pulseira>)
  • giz (jibs)
  • girafa (zarâfa(AR.) ->giraffa (IT.) -> girafa (PT.))

j4) Em palavras com origem tupi. As mais conhecidas são:

  • beiju
  • cajá
  • caju
  • canjica
  • carijó
  • guarajuba
  • itajuba
  • itajaí
  • jequiriti
  • jequitibá
  • jerimum
  • jibóia (cobra d’água).
  • jumana (tribo).
  • jurubeba (planta espinhosa e fruta tida como medicinal).
  • jenipapo
  • jururu
  • maracujá
  • marajó
  • mucujê
  • pajé
  • Ubirajara

Exceção: Sergipe

J5) Em palavras com origem africana. As mais conhecidas são:

  • acarajé
  • Iemanjá
  • jabá
  • jagunço
  • jererê (cigarro de maconha)
  • jiló
  • jurema

Exceções:

  • bugiganga
  • ginga

Caso c ou ç / s ou ss

c tem o valor de /s/ com as vogais E e I. Antes de A, O e U usa-se ç.

  • acetato
  • ácido
  • açafrão
  • aço
  • açúcar

Depois de consoante usa-se s. Entre vogais, usa-se ss:

  • manso
  • concurso
  • expulso
  • prosseguir
  • girassol
  • pessoa

s1) Usa-se s em palavras derivadas de verbos terminados em ERGIR, CORRER, PELIR:

  • aspergir= aspersão
  • compelir= compulsório
  • concorrer= concurso
  • discorrer= discurso
  • expelir= expulsão, expulso
  • imergir= imersão
  • impelir= impulsão, impulso

s2) Verbos terminados em DAR – DER – DIR – TER – TIR – MIR recebem s quando há perda das letras “D – T – M”em suas derivações:

  • circuncidar(circumcidere)  = circuncisão, circunciso
  • ascender(ascendere) = ascensão
  • suceder(succedere) = sucessão / sucesso
  • expandir(expandere) = expansão / expansível
  • iludir(illudere) = ilusão / ilusório
  • progredir(progredere)  = progressão  /  progressivo / progresso
  • submeter(submittere) = submissão  /  submisso
  • discutir(discutere) = discussão
  • suprimir(supprimere) = supressão / supresso
  • redimir(redimere) = remissão  / remisso

Observe também a origem latina:

  • excluir (deexcludere) = exclusão
  • incluir  (deincludere) = inclusão…

 

c1) Verbos não terminados em DAR – DER – DIR – TER – TIR – MIR quando mudam o radical recebem ç:

  • agir = ação
  • excetuar = exceção
  • proteger = proteção
  • promover = promoção

c2) Verbos que mantêm o radical recebem ç em derivações:

  • acomodar = acomodação
  • consolidar = consolidação
  • conter = contenção
  • fundar = fundação
  • fundir = fundição
  • remir = remição
  • reter = retenção
  • saudar = saudação
  • torcer = torção
  • distorcer = distorção

Observe também a origem latina:

  • manter (manutenere) = manutenção
  • nadar (natare) = natação

 

c3) Usa-se c ou ç após ditongo quando houver som de s:

  • eleição
  • traição
  • foice

c4) Nos sufixos aça, aço, ação, çar, ecer, iça, iço, nça, uça, uço.
·          barca = barcaça
·     rico = ricaço
·     cota = cotação
·     aguço = aguçar
·     merece = merecer
·     carne = carniça
·     canil = caniço
·     esperar = esperança
·     cara = carapuça
·     dente = dentuço

c5) Em palavras com origem árabe. As mais conhecidas são:

  • açafrão
  • açoite
  • açougue
  • açude
  • açúcar
  • açucena
  • alface
  • alvoroço
  • ceifa
  • celeste
  • cetim
  • cifra

Exceção:

  • arsenal
  • carmesim
  • safra
  • salada
  • sultão

c6) Em palavras com origem tupi. As mais conhecidas são:

  • araçá
  • aç
  • babaçu
  • cacique
  • caiçara
  • camaçari
  • cipó
  • cupuaçu
  • Iguaçu
  • Iracema
  • juçara
  • maçaranduba
  • maniçoba
  • paçoca
  • piaçava
  • piraguaçu

Exceção (todas começam com som de s, menos cipó):

  • sabiá
  • sagui
  • saci
  • samambaia
  • sariguê
  • savana
  • Sergipe
  • siri
  • suçuarana
  • sucuri
  • sururu

c7) Em palavras com origem africana. As mais conhecidas são:

  • bagunça
  • caçamba
  • cachaça
  • caçula
  • cangaço
  • jagunço
  • lambança
  • miçanga

Exceção (todas começam com som de s):

  • sapeca
  • samba
  • senzala
  • serelepe
  • songamonga
  • sova (pancada)

 

Caso z / s

1) Emprega-se a letra s:

Prestando algum concurso público? Veja as apostilas disponíveis!

Apostilas opção são boas? veja este artigo sobre.

s1) Em palavras derivadas de uma primitiva grafada com s:

Você está prestando o concurso da SEDUC-AM? confira nosso conteúdo!

Prestando outro concurso? Veja aqui as apostilas disponíveis!

  • análise = analisar, analisado
  • pesquisa = pesquisar, pesquisado.
    Exceção: catequese = catequizar.

s2) Após ditongo quando houver som de z:

  • Creusa
  • coisa
  • maisena

s3) Na conjugação dos verbos PÔR e QUERER:

  • (Ele) pôs
  • (Ele) quis
  • (Nós) pusemos
  • (Nós) quisemos
  • (Se eu) puser
  • (Se eu) quiser

s4) Em palavras terminadas em OSOOSA (que significa “cheio de”):

  • horrorosa
  • gostoso

Exceção: gozo

s5) Nos sufixos gregos ASEESEISEOSE:

  • frase
  • tese
  • crase
  • crise
  • osmose

Exceções: deslize e gaze.

s6) Nos sufxos ÊS, ESAESIA e ISA, usados na formação de palavras que indicam nacionalidade, profissão, estado social, títulos honoríficos.

  • chinês
  • chinesa
  • camponês
  • poetisa
  • burguês
  • burguesa
  • freguesia
  • Luísa
  • Heloísa

Exceção: Juíza (por derivar do masculino juiz).

z1) As terminadas em EZ e EZA serão escritas com z quando forem substantivos abstratos provindos de adjetivos, ou seja, quando indicarem qualidade:

  • escasso / escassez
  • macio / maciez
  • rígido / rigidez
  • sensato / sensatez
  • surdo / surdez
  • avaro / avareza
  • certo / certeza
  • duro / dureza
  • nobre / nobreza
  • pobre / pobreza
  • rico / riqueza

z2) Grafam-se com “z” as palavras derivadas com os sufixos “zada, zal, zarrão, zeiro, zinho, zito, zona, zorra, zudo”. O “z“, neste caso, é uma consoante de ligação com o infixo.

  • pazada
  • cafezal
  • homenzarrão
  • açaizeiro
  • papelzinho
  • cãozito
  • mãezona
  • mãozorra
  • pezudo

Exceção (quando o radical das palavras de origem possuem o “s”):

  • asa = asinha
  • riso = risinho
  • casa = casinha
  • Inês= Inesita
  • Teresa = Teresinha

z3) Em derivações resultando em verbos terminados com som de IZAR:

  • útil = utilizar
  • terror = aterrorizar
  • economia = economizar

Exceção (quando o radical das palavras de origem possuem o “s”):

  • análise = analisar
  • pesquisa = pesesquisar
  • improviso = improvisar
    Exceção da Exceção: catequese = catequizar.

 

Caso ex / es

1) Como regra geral, as palavras que em latim se iniciavam por ex mantiveram a mesma grafia ao passarem do latim clássico para o português.

expectorare      >         expectorar;

expansione       >         expansão;

expellere           >         expelir;

experimentu    >         experimento;

expiratione       >         expiração;

extrinsecu         >         extrínseco;
extensione        >         extensão;

Há, contudo, exceções. Algumas palavras que se escreviam com ex em latim evoluíram para es ao passar do latim vulgar para o português.

excusare            >         escusar;

excavare            >         escavar;

exprimere          >         espremer;

extraneo            >         estranho;

extendere          >         estender;

 

verbo “estender”, por exemplo, entrou para o léxico no século 13,  originária do latim vulgar, quando o “x” antes de consoante tornava-se “s”. O vocábulo “extensão” aparece no léxico de nossa língua no século 18 e teve sua origem no latim clássico (extensione), quando a regra era manter o “x” de sua origem (extensio). Tal como “extensão”, escreve-se  extenso, extensivo, extensibilidade, etc.

 

2) Já as palavras que se iniciavam por s em latim deram origem a derivados com es em português:

scapula              >         escápula;

scrotu                >         escroto;

spatula              >         espátula;

spectru              >         espectro;

speculare          >         especular;

spiral                 >         espiral;

spontaneu        >         espontâneo;

spuma               >         espuma;

statura               >         estatura;

sterile                 >         estéril

stertore              >         estertor;

strutura              >         estrutura;

Os termos médicos derivados de palavras gregas iniciadas por s também se escrevem com es em português. Ex:

  • escotoma
  • esclerótica
  • esfenoide
  • esplâncnico
  • estase
  • estenose
  • estroma

Um equívoco primário consiste na confusão entre estase (do gr. stásis, parada, estagnação) e êxtase (do gr. ekstásis – ek = fora de; stasis = estadopelo latim extase). Também se deve distinguir estrato (do latim stratu), com o sentido de camada, de extrato (do latim extractu), aquilo que se extraiu de alguma coisa.

Caso sc

Utiliza-se SC em termos eruditos latinos, isto é, cuja etimologia manteve o radical latino:

  • abscesso (abscessus);
  • acrescer (accrescere);
  • adolescente (adolescentis);
  • aquiescer (acquiescere);
  • ascender (ascendere);
  • consciência (conscientia);
  • crescer (crescere);
  • descer (descendere);
  • disciplina (disciplina);
  • fascículo (fasciculus);
  • fascinar  (fascinare);
  • florescer (florescere);
  • lascivo  (lascivu);
  • nascer (nascere);
  • oscilar (oscillare);
  • obsceno (obscenus);
  • rescindir  (rescindere);
  • víscera (viscus);

Caso c / qu e Forma Variantes

Existem palavras que podemos escrever com “c” e também com qu:
·         catorze / quatorze
·         cociente / quociente
·         cota / quota
·         cotidiano / quotidiano
·         cotizar / quotizar

E existem variantes aceitas para outras palavras:

·         abdome e abdômen
·         açoitar e açoutar
·         afeminado e efeminado
·         aluguel ou aluguer
·         arrebitar e rebitar
·         arremedar e remedar
·         assoalho e soalho
·         assobiar e assoviar

  • assoprar e soprar
  • Azalea e Azaleia
  • bêbado e bêbedo
  • bilhão e bilião
  • bílis e bile
  • bombo e bumbo
  • bravo e brabo
  • caatinga e catinga
  • cãibra e câimbra
  • carroçaria e carroceria
  • catucar e cutucar
  • chipanzé e chimpanzé
  • coisa e cousa
  • degelar e desgelar
  • dependurar e pendurar
  • derrubar e derribar
  • desenxavido e desenxabido
  • diabete e diabetes
  • embaralhar e baralhar
  • enfarte e infarto
  • entretenimento e entretimento
  • entoação e entonação
  • enumerar e numerar
  • espécime e espécimen
  • espuma e escuma
  • estalar e estralar
  • este e leste (pontos cardeais)
  • flauta e frauta
  • flecha e frecha
  • geringonça e gerigonça
  • homogeneizar e homogenizar
  • húmus e humo
  • impingem e impigem
  • imundícia, imundície e imundice
  • intrincado e intricado
  • lide e lida
  • louro e loiro
  • macaxeira e macaxera
  • maltrapilho e maltrapido
  • malvadeza e malvadez
  • maquiagem e maquilagem
  • marimbondo e maribondo
  • matracar e matraquear
  • mobiliar e mobilhar
  • neblina e nebrina
  • nenê e neném
  • parênteses e parêntesis
  • percentagem e porcentagem
  • pitoresco, pinturesco e pintoresco
  • plancha e prancha
  • pólen e polem
  • quadrênio e quatriênio
  • quatrilhão e quatrilião
  • radioatividade e radiatividade
  • rastro e rasto
  • relampear e relampejar
  • remoinho e redemoinho
  • salobra e salobre
  • taberna e taverna
  • tesoura e tesoira
  • toicinho e toucinho
  • transpassar, traspassar e trespassar
  • transvestir e travestir
  • treinar e trenar
  • tríade e triada
  • trilhão e trilião
  • vasculhar e basculhar
  • Xérox e Xerox
  • xeretar e xeretear

 

Caso o / u

1) Usa-se o na grafia dos seguintes vocábulos:

  • boteco
  • botequim
  • cortiço
  • engolir
  • goela
  • mochila
  • moela
  • mosquito
  • mágoa
  • moleque
  • nódoa
  • tossir
  • toalete
  • zoar

2) Usa-se u na grafia dos seguintes vocábulos:

  • amuleto
  • entupir
  • jabuti
  • mandíbula
  • supetão
  • tábua

 

Caso e / i

1) Os verbos terminados em UIR e em OER:
No Presente do Indicativo, as 2ª e 3ª pessoas do singular são grafadas com I. Exemplo (verbo possuir):

tu possuis

ele possui

tu constróis

ele constrói

tu móis

ele mói

tu róis

ele rói

2) Os verbos terminados em -UAR e em -OAR:
No Presente do Subjuntivo, todas as pessoas da conjugação serão grafadas com e. Exemplo (verbo entoar):

Que eu entoe

Que tu entoes

Que ele entoe

Que nós entoemos

Que vós entoeis

Que eles entoem

3) Todos os verbos que terminam em [-ear] (arrear, frear, alardear, amacear, passear…) fazem um ditongo [-ei-] no presente do indicativo e do subjuntivo nas formas rizotônicas (1ª, 2ª, 3ª do singular e 3ª do plural,):

PRESENTE DO INDICATIVO PRETÉRITO PERFEITO FUTURO PRESENTE DO SUBJUNTIVO(que…)
Eu freio Eu freei Eu frearei Eu freie
Tu freias Tu freaste Tu frearás Tu freies
Ele freia Ele freou Ele freará Ele freie
Nós freamos Nós freamos Nós frearemos Nós freemos
Vós freais Vós freastes Vós freareis Vós freeis
Eles freiam Eles frearam Eles frearão Eles freiem

4) Os verbos terminados em [-iar] (arriar, criar, odiar…) são regulares, exceto o (I)MARIO: (Inter)Mediar, Ansiar, Remediar, Incendiar, Odiar, os quais são irregulares e formam ditongo [-ei-] nas formas rizotônicas:

Observe a diferença entre Arriar (regular) e Mediar (irregular):

PRESENTE DO INDICATIVO PRESENTE DO SUBJUNTIVO(que…) PRESENTE DO INTICATIVO PRESENTE DO SUBJUNTIVO(que…)
Eu arrio Eu arrie Eu medeio Eu medeie
Tu arrias Tu arries Tu medeias Tu medeies
Ele arria Ele arrie Ele medeia Ele medeie
Nós arriamos Nós arriemos Nós mediamos Nós mediemos
Vós arriais Vós arrieis Vós mediais Vós medieis
Eles arriam Eles arriem Eles medeiam Eles medeiem

 

O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO

Há muitos anos o países de língua portuguesa vinha discutindo uma maneira de simplificar o idioma nos diferentes países, uma vez que apesar de ser o mesmo idioma o português tem variações em cada local, por exemplo algumas palavras que no português do Brasil têm significados diferentes no português de Portugal.  A partir dessas discussões alguns países se reuniram com o intuito de criar o um acordo ortográfico para que algumas palavras fossem grafadas da mesma maneira em todos os países de língua portuguesa. No ano de 1990 o acordo ortográfico da língua portuguesa foi assinado por oito países, incluindo o Brasil.

Mas esse acordo só entrou em processo de implantação em 2009, mas não era obrigatório ainda, uma vez que no período de 2010 a 2012 foi para adaptação de livros didáticos e para a própria população se acostumar com a novas regras.

Assim durante esse período, provas de vestibulares, Enem, concursos e outras não cobravam o uso das novas regras na sua escrita.

novo acordo ortográfico deveria entrar em vigor já no ano de 2013, mas a fim de acompanhar o cronograma de implantação de outros países de língua portuguesa, o Brasil estendeu esse prazo para 2016. Assim desde o dia 1º de janeiro de 2016 o novo acordo ortográfico da língua portuguesa passa a ser obrigatório em todo o território nacional e em mais oito países.

 

NOVA ORTOGRAFIA: NOVAS REGRAS ORTOGRÁFICAS DA LÍNGUA PORTUGUESA

Com as novas regras de ortografia em vigor é preciso ficar atento ao que muda na hora de escrever, uma vez que será considerado como erros gramaticais em provas, concursos, e o Enem (a principal forma de entrada em uma universidade atualmente). Confira abaixo o que muda :

ALFABETO

A primeira mudança pode ser estranha a alguns, mas só agora o alfabeto português possui 26 letras, uma vez que foram incluídas as letras K, W e Y.

Os acentos podem ser as mudanças que mais geram dúvidas: Palavras paroxítonas que tem o acento gráfico nos ditongos EI e OI não têm mais acento. Exemplo:

  • Estréia – Estreia
  • Idéia – Ideia
  • Paranóico – Paranoico
  • Assembléia – Assembleia
  • Geléia – Geleia
  • Jibóia – Jiboia
  • Apóio – Apoio
  • Platéia – Plateia
  • Jóia – Joia
  • Bóia – Boia
  • Coréia – Coreia

Outras palavras que perderam seu acento foram: creem, deem, leem, veem e seus derivados: descreem, desdeem, releem, reveem e as que tem acento no último o do hiato(Os hiatos são o encontro de vogais de sílabas diferentes): Voos, enjoo, abençoo.

ACENTOS DIFERENCIAIS

Os acentos diferenciais das palavras também não são usados mais. Exemplo:

  • Pára (verbo) – Para
  • Pará-brisa – Para-brisa
  • Péla (substantivo) – Pela
  • Péla (verbo) – Pela
  • Pela (per+la)
  • Pêra – Pera
  • Pélo (verbo) – Pelo
  • Pêlo (substantivo) – Pelo
  • Pelo (per+lo)
  • Pólo (substantivo) – Polo
  • Polo (por+lo)

TREMA

O trema foi totalmente eliminado da língua portuguesa, seu uso não era obrigatório e agora não existe mais, com exceção às palavras estrangeiras e em nomes próprios. O trema era utilizado da seguinte forma:

  • Antes: cinqüenta, freqüente
  • Depois: cinquenta, frequente

HÍFEN:

O hífen é usado em palavras que a segunda palavra começa com a mesma vogal que a primeira palavra. Exemplo: micro-ondas, anti-inflamatório, arqui-inimigo, semi-integral, micro-organismo.

Usa o hífen quando a segunda palavra começar com H: tele-homenagem, proto-história, sobre-humano, extra-humano, pré-história, anti-higiênico, semi-hospitalar.

O hífen quando o primeiro elemento acabar com vogal e o segundo começar com vogal diferente deixa de existir: socioeconômico, semiárido, autoestima, infraestrutura, ultrainterino.

Não se usa quando o primeiro elemento terminar em vogal e o segundo elemento começar com R ou S. Nesse caso, a primeira letra do segundo elemento deverá ser duplicada: antissemita, contrarregra, antirreligioso, cosseno, extrarregular, minissaia, biorritmo, microssistema, ultrassom, antissocial.

Fontes: segredosdeconcurso, aprenderportugues, portuguesxconcurso

 

Vídeo(s):

ORTOGRAFIA

NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO

Domínio da Ortografia Oficial – Resumo

Prestando algum concurso público? Veja as apostilas disponíveis!

Apostilas opção são boas? veja este artigo sobre.

Publicado em:Português

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *