Menu fechado

Significação contextual de palavras e expressões – Resumo

Confira nossas 3 Dicas para passar em qualquer concurso. Clique Aqui!

Significação contextual de palavras e expressões

Uma palavra possui por definição muitos significados os quais mudam dependendo do contexto onde ele é inserido. Para sabermos essas diferenças dentro dos contextos é preciso entender alguns termos e assim saber defini-los. lembrando que um palavra pode possuir mais de uma definição.

Denotação e Conotação

Denotação

Uma palavra é usada no sentido denotativo (próprio ou literal) quando apresenta seu significado original, independentemente do contexto frásico em que aparece. Quando se refere ao seu significado mais objetivo e comum, aquele imediatamente reconhecido e muitas vezes associado ao primeiro significado que aparece nos dicionários, sendo o significado mais literal da palavra.

A denotação tem como finalidade informar o receptor da mensagem de forma clara e objetiva, assumindo assim um caráter prático e utilitário. É utilizada em textos informativos, como jornais, regulamentos, manuais de instrução, bulas de medicamentos, textos científicos, entre outros.

“O elefante é um mamífero”.

Conotação

Uma palavra é usada no sentido conotativo (figurado) quando apresenta diferentes significados, sujeitos a diferentes interpretações, dependendo do contexto frásico em que aparece. Quando se refere a sentidos, associações e ideias que vão além do sentido original da palavra, ampliando sua significação mediante a circunstância em que a mesma é utilizada, assumindo um sentido figurado e simbólico.

A conotação tem como finalidade provocar sentimentos no receptor da mensagem, através da expressividade e afetividade que transmite. É utilizada principalmente numa linguagem poética e na literatura, mas também ocorre em conversas cotidianas, em letras de música, em anúncios publicitários, entre outros.

“Você tem um coração de pedra!”.

Antônimo e Sinônimo

Conhecer o significado das palavras é importante, pois só assim o falante ou escritor será capaz de selecionar a palavra certa para construir a sua mensagem. Por esta razão, é importante conhecer fatos linguísticos como: sinonímia e antonímia.

Sinonímia (sinônimos): palavras que possuem significados iguais ou semelhantes.

“adversário e antagonista”.

“transformação e metamorfose”.

Antonímia (antônimos): palavras que possuem significados opostos.

“bendizer e maldizer”.

“progredir e regredir”.

Homônimos e Parônimos

Homônimos são palavras com escrita ou pronúncia iguais, com significado (sentido) diferente.

“A manga está uma delícia.”

“A manga da camisa ficou perfeita.”

Tipos de homônimos: homógrafos, homófonos e homônimos perfeitos.

Homógrafos – mesma grafia e som diferente.“Eu começo a trabalhar em breve.”

“O começo do filme foi ótimo.”

Homófonos – grafia diferente e mesmo som.‘A cela do presídio está lotada.”

“A sela do cavalo está velha.”

Homônimos perfeitos – mesma grafia e som.“Vou pegar dinheiro no banco.”

“O banco da praça quebrou.”

Parônimos são palavras com escrita e pronúncia parecidas, mas com significado (sentido) diferente.

“O homem fez uma bela descrição da mulher”

“Use a sua discrição, Paulo”

Outro exemplo:

Amoral – nem contrário e nem conforme a moral

Imoral – contrário à moral

Ambiguidades

Ambiguidade ou anfibologia é o nome dado, dentro da linguística na língua portuguesa, à duplicidade de sentidos, onde alguns termos, expressões, sentenças apresentam mais de uma acepção ou entendimento possível. Em outras palavras, ocorre quando, por falta de clareza, há duplicidade de sentido da frase. Apesar de ser um recurso aceitável dentro da linguagem poética ou literária, deve ser na maioria das vezes, evitado em construções textuais de caráter técnico, informativo, ou pragmático.

O uso da ambiguidade pode resultar na má interpretação da mensagem, ocasionando múltiplos sentidos. É importante lembrar que toda comunicação estabelece uma finalidade, uma intenção para com o interlocutor, e para que isso ocorra, a mensagem tem de estar clara, precisa e coerente.

Na publicidade observamos o uso e o abuso da linguagem plurissignificante, por meio dos trocadilhos e jogos de palavras, procurando chamar a atenção do interlocutor para a mensagem. Caso o autor não se julgue preparado para utilizar corretamente a ambiguidade, é preferível uma linguagem mais objetiva, com vocábulos ou expressões que sejam mais adequadas às finalidades requeridas. Quando não é feito de forma proposital, ou seja, causado por algum tipo de erro as ambiguidades são consideradas vícios de linguagem.

Os tipos comuns de ambiguidade, como vício de linguagem são:

Uso indevido de pronomes possessivos

A mãe pediu à filha que arrumasse o seu quarto.

Qual quarto? o da mãe ou da filha? Para evitar ambiguidade:

A mãe pediu à filha que arrumasse o próprio quarto.

Colocação inadequada das palavras

A criança feliz foi ao parque.

A criança ficou feliz ao chegar no parque, ou estava assim antes?

Feliz, a criança foi ao parque.

Confira nossas 3 Dicas para passar em qualquer concurso. Clique Aqui!

Uso de forma indistinta entre o pronome relativo e a conjunção integrante

A estudante falou com o garoto que estudava enfermagem.

Quem estuda enfermagem, a estudante ou o garoto? para corrigir:

A estudante de enfermagem falou com o garoto;

Uso indevido de formas nominais

A moça reconheceu a amiga frequentando a academia.

Quem estava na academia? a moça ou a amiga? para corrigir:

A moça reconheceu a amiga que estava frequentando a academia.

Polissemia

Polissemia é um conceito da área da linguística com origem no termo grego polysemos, que significa “algo que tem muitos significados”. Uma palavra polissêmica é uma palavra que reúne vários significados.

A palavra “vela” é um dos exemplos de polissemia. Ela pode significar a vela de um barco; a vela feita de cera que serve para iluminar ou pode ser a conjugação do verbo velar, que significa estar vigilante.

A polissemia constitui uma propriedade básica das unidades léxicas e um elemento estrutural da linguagem. O oposto da polissemia é a monossemia, onde uma palavra assume só um significado.

Exemplo 1

letra da música do Chico Buarque é incrível.

A letra daquele aluno é inteligível

Meu nome começa com a letra D.

Logo, constatamos que a palavra “letra” é um termo polissêmico, visto que abarca significados distintos dependendo de sua utilização.

Hiperonímia e hiponímia

hiperonímia indica uma relação hierárquica de significado que uma palavra superior estabelece com uma palavra inferior.

hiponímia indica, assim, essa mesma relação hierárquica de significado. Foca-se, no entanto, na perspectiva da palavra hierarquicamente inferior.

País é hiperônimo de Brasil.

Mamífero é hiperônimo de cavalo.

Jogo é hiperônimo de xadrez.

Brasil é hipônimo de país.

Os hiperônimos:

Apresentam um sentido abrangente;

Transmitem a ideia de um todo;

Representam as características genéricas de uma classe;

Permitem a formação de subclasses associadas a elas.

Os hipônimos:

Apresentam um sentido restrito;

Transmitem a ideia de um item ou uma parte de um todo;

Representam as características específicas de uma subclasse;

Permitem a associação a uma classe superior mais abrangente.

Exemplos de hiperônimos e hipônimos

Hiperônimo Hipônimos
Cor verde, azul, amarelo, vermelho, branco,…
Fruta maçã, banana, manga, abacaxi, jaca,…
veículo carro, automóvel, moto, bicicleta, ônibus,…
esporte natação, futebol, patinação, atletismo, esgrima,…
animal cobra, onça, cachorro, urubu, urso,…
flor rosa, margarida, malmequer, hortênsia, orquídea,…
eletrodoméstico geladeira, batedeira, liquidificador, aspirador, ferro,…
ferramenta martelo, serrote, alicate, enxada, chave de fenda,…
ave papagaio, gaivota, bem-te-vi, arara, coruja,…

Uso de hiperônimos e hipônimos

O uso de hiperônimos e hipônimos é essencial para a construção de uma boa coesão lexical num texto. Os hiperônimos e hipônimos atuam como um recurso coesivo lexical que permite a abordagem de um tema evitando repetições vocabulares.

Além disso, desempenham uma função anafórica no texto, fazendo referência a uma informação previamente mencionada sem a repetir, através do uso de substantivos genéricos e específicos.

Fontes: Significados, Toda matéria, Norma Culta e Central de Favoritos

VEJA: 

Significação contextual de palavras e expressões

Confira nossas 3 Dicas para passar em qualquer concurso. Clique Aqui!

Publicado em:Português

Post relacionado

6 Comentários

    • caio carlos

      Boa tarde genilda, conforme diz o artigo está dentro da matéria o seguinte: Denotação e Conotação; Antônimo e Sinônimo; Homônimos e Parônimos; Ambiguidades; Polissemias; e hiperônimos e hipônimos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *