Menu fechado

Funções do “que” e do “se”

Confira nossas 3 Dicas para passar em qualquer concurso. Clique Aqui!

Prestando concurso da PM-BA ou do CBM-BA? Confira nossas apostilas! clique aqui!

Prestando concurso do TJ PA? Confira nossas apostilas! clique aqui!

Funções do “que” e do “se”

As palavras “que” e “se” podem exercer inúmeros papéis em uma frase, como conjunção, pronome, partícula expletiva ou de realce etc.

Que e Se podem exercer inúmeros papéis em uma frase!
Que e Se podem exercer inúmeros papéis em uma frase!

A palavra que em português pode ser:

  • Interjeição: exprime espanto, admiração, surpresa.

Nesse caso, será acentuado e seguido de ponto de exclamação. Usa-se também a variação “o quê”! A palavra que não exerce função sintática quando funciona como interjeição.

Quê! Você ainda não está pronto?
O quê! Quem sumiu?

  • Substantivo: equivale a alguma coisa.

Nesse caso, virá sempre antecedido de artigo ou outro determinante e receberá acento por ser monossílabo tônico terminado em e. Como substantivo, designa também a 16ª letra de nosso alfabeto. Quando a palavra que for substantivo, exercerá as funções sintáticas próprias dessa classe de palavra (sujeito, objeto direto, objeto indireto, predicativo etc.)

Ele tem certo quê misterioso. (substantivo na função de núcleo do objeto direto)

  • Preposição: liga dois verbos de uma locução verbal em que o auxiliar é o verbo ter. Equivale a de. Quando é preposição, a palavra que não exerce função sintática.

Tenho que sair agora.
Ele tem que dar o dinheiro hoje.

  • Partícula expletiva ou de realce: pode ser retirada da frase, sem prejuízo algum para o sentido. Nesse caso, a palavra que não exerce função sintática; como o próprio nome indica, é usada apenas para dar realce. Como partícula expletiva, aparece também na expressão é que.

Quase que não consigo chegar a tempo.
Ela é que conseguiu chegar.

  • Advérbio: modifica um adjetivo ou um advérbio. Equivale a quão. Quando funciona como advérbio, a palavra que exerce a função sintática de adjunto adverbial; no caso, de intensidade.

Que lindas flores!
Que barato!

  • Pronome: como pronome, a palavra que pode ser:

 

⇒ Pronome relativo: retoma um termo da oração antecedente, projetando-o na oração consequente. Equivale a o qual e flexões.

Não encontramos as pessoas que saíram.

⇒ Pronome indefinido: nesse caso, pode funcionar como pronome substantivo ou pronome adjetivo:

⇒ Pronome substantivo: equivale a que coisa. Quando for pronome substantivo, a palavra que exercerá as funções próprias do substantivo (sujeito, objeto direto, objeto indireto, etc.)

Que aconteceu com você?

 Pronome adjetivo: determina um substantivo. Nesse caso, exerce a função sintática de adjunto adnominal.

Que vida é essa?

  • Conjunção: relaciona entre si duas orações. Nesse caso, não exerce função sintática. Como conjunção, a palavra que pode relacionar tanto orações coordenadas quanto subordinadas, por isso, classifica-se como conjunção coordenativa ou conjunção subordinativa. Quando funciona como conjunção coordenativa ou subordinativa, a palavra que recebe o nome da oração que introduz. Por exemplo:

Venha logo, que é tarde. (conjunção coordenativa explicativa)

Falou tanto que ficou rouco. (conjunção subordinativa consecutiva)

Quando inicia uma oração subordinada substantiva, a palavra que recebe o nome de conjunção subordinativa integrante.

Desejo que você venha logo.

Confira nossas 3 Dicas para passar em qualquer concurso. Clique Aqui!

Prestando concurso da PM-BA ou do CBM-BA? Confira nossas apostilas! clique aqui!

Prestando concurso do TJ PA? Confira nossas apostilas! clique aqui!

 

Que e Se

Palavra “se” 

Pode ser:

  • Conjunção: relaciona entre si duas orações. Nesse caso, não exerce função sintática. Como conjunção, a palavra se pode ser:

⇒ Conjunção subordinativa integrante: inicia uma oração subordinada substantiva.

Perguntei se ele estava feliz.

⇒ Conjunção subordinativa condicional: inicia uma oração adverbial condicional (equivale a caso).

Se todos tivessem estudado, as notas seriam boas.

  • Partícula expletiva ou de realce: pode ser retirada da frase sem prejuízo algum para o sentido. Nesse caso, a palavra se não exerce função sintática. Como o próprio nome indica, é usada apenas para dar realce.

Passavam-se os dias e nada acontecia.

  • Parte integrante do verbo: faz parte integrante dos verbos pronominais. Nesse caso, não exerce função sintática.

Ele arrependeu-se do que fez.

  • Partícula apassivadora: ligada a verbo que pede objeto direto, caracteriza as orações que estão na voz passiva sintética. É também chamada de pronome apassivador. Nesse caso, não exerce função sintática.

Vendem-se casas.

Aluga-se carro.

Compram-se joias.

  • Índice de indeterminação do sujeito: liga-se a um verbo que não é transitivo direto, tornando o sujeito indeterminado. Não exerce propriamente uma função sintática. Lembre-se de que, nesse caso, o verbo deve estar na terceira pessoa do singular.

Trabalha-se de dia.

Precisa-se de vendedores.

  • Pronome reflexivo: quando a palavra se é pronome pessoal, deve estar sempre na mesma pessoa do sujeito da oração de que faz parte. Por isso, o pronome oblíquo se sempre será reflexivo (equivalendo a a si mesmo), podendo assumir as seguintes funções sintáticas:

⇒ Objeto direto
Ele cortou-se com o facão.

⇒ Objeto indireto
Ele se atribui muito valor.

⇒ Sujeito de um infinitivo
“Sofia deixou-se estar à janela.”

Fonte: Brasil Escola

Vídeo(s):

 

Funções do “que” e do “se”

Confira nossas 3 Dicas para passar em qualquer concurso. Clique Aqui!

Prestando concurso da PM-BA ou do CBM-BA? Confira nossas apostilas! clique aqui!

Prestando concurso do TJ PA? Confira nossas apostilas! clique aqui!

Publicado em:Português

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *